voltar acima
processo-criativo-a-pajarita

PROCESSO CRIATIVO D’A PAJARITA

processo-criativo-a-pajarita

 

O processo criativo é o caminho que o artista faz para gerar uma ideia que responde à questão que tem em mãos. Para quem não trabalha com ideias e criatividade, pode parecer algo mágico – “como é que se foram lembrar disto?”, mas para nós, artistas, exige disciplina, estudo e muito trabalho, ainda que uma grande parte deste processo aconteça internamente, dentro da nossa cabeça.

Hoje vou-vos falar do meu processo criativo, do primeiro ao último passo de um caminho sempre feito em conjunto com os noivos, de forma a criar o estacionário com que tanto sonharam.

 

Tudo começa com uma boa conversa: sentamo-nos em redor de uma mesa redonda, física ou virtual. E não é por acaso que esta mesa é mesmo redonda, é um lugar de partilha onde descubro os vossos gostos, as vossas cores preferidas, a vossa história, o que são como indivíduos e o que é a soma dos dois.

Esta partilha gera e reúne a matéria prima com que irei trabalhar, a essência na qual me debruçarei para melhor vos representar no desenvolvimento do vosso estacionário.

É muito importante que me falem de vós, mesmo que timidamente. E não se preocupem com o tempo que demoram, é indispensável conhecer-vos e este momento é dedicado, de forma muito presente e intencional, a isso. Se eu não vos conhecer, a cada um, e ao que são como casal, como poderei captar a vossa identidade e fazer com que se reflicta no vosso convite e em todo o estacionário?

 

processo-criativo-a-pajarita

 

Durante esta conversa, vou-vos mostrar uma selecção de trabalhos do meu portefólio.

São peças desenvolvidas para clientes anteriores, onde posso exemplificar as diferentes técnicas e acabamentos que apliquei. Não quero que os vejam como maquetas para o vosso convite, mas apenas uma demonstração técnica e visual daquilo que sei fazer e é a assinatura criativa A Pajarita.

O papel é a matéria prima de base. Há muitas variações, na gramagem, no toque, na suavidade, naquilo que os especialistas chamam de “mão”: a nossa relação táctil com a matéria, o peso, a textura e as sensações que transmite.

Numa primeira impressão, e à vista, os papéis podem ser muito semelhantes mas, para os amantes de papel como eu, é o toque que desvenda a sua essência, de que é feito e como é feito.

Depois de escolhermos a base de trabalho com tanto carinho e cuidado, vou falar-vos sobre as diferentes técnicas de impressão que uso: da impressão fine art (a única que usamos) às técnicas, manuais e artísticas, como a pintura, o desenho ou a xilogravura.

Ao exemplificar esta opções, vou percebendo com que opções mais se identificam, o que vos deixa os olhos a brilhar e o que se enquadra no vosso orçamento.

Nesta altura já temos a base definida, o formato e dimensões, as técnicas a aplicar, a paleta de cores seleccionada e a vossa essência.

Está na hora de nos despedirmos, um caloroso “até breve” separa-nos até ao meu próximo contacto.

 

O próximo contacto acontece com o envio de um orçamento detalhado com as decisões que tomámos como opção ou opções ideais. Não inclui uma proposta criativa.

Agradeço-vos que ponderem, comparem e escolham o profissional com que mais de identificam, caso tenham feito vários contactos. Lembrem-se do meu conselho inicial, e façam esta avaliação tendo em conta todos os factores e componentes do serviço, não apenas o valor final.

Com a vossa escolha feita, não deixem de enviar um email curto e simpático aos outros fornecedores contactados mas não escolhidos, a avisá-los disso mesmo. Estes fornecedores dedicaram tempo a receber-vos, a pensar numa proposta que fosse a vossa cara e a preparar um orçamento, sem custos. Merecem igual tempo e atenção do vosso lado, e esta tarefa não levará mais do que 5 minutos!

 

O tempo é um bem precioso e só o dedico aos noivos que confiarem no meu trabalho. Também as minhas ideias e criatividade são o meu trabalho e valor, por isso não desenvolvo propostas criativas sem um compromisso mútuo. Se me confiarem a responsabilidade de criar o estacionário do vosso casamento, após a adjudicação ou a activação da encomenda, porei mãos à obra, com entusiasmo.

Vou reflectir, esboçar e apresentar-vos a solução que encontrei, e que para mim, melhor vos representa.

A essa proposta vamos juntar o vosso parecer e sugestões, e fazer as alterações necessárias.

 

processo-criativo-a-pajarita processo-criativo-a-pajarita processo-criativo-a-pajarita convite-de-casamento-pintado-a-mão-a-pajarita papel-manual-pintado-a-pajarita convite-de-casamento-pintado-a-mão-a-pajarita

 

 

Quando chegamos à solução final, chegou a hora de sentir o que projectamos. Como apenas trabalho com os meios à disposição no meu atelier, faço sempre um primeiro exemplar da versão final para os noivos verem fisicamente o resultado final, uma espécie de prova que serve de referência, de prova-modelo. Poderão ver de perto, mexer, sentir a tal “mão” de que falámos.

Se tudo se encontrar como o perspectivado, com as devidas revisões feitas, passo à produção dos exemplares que me encomendaram.

 

convite-de-casamento-pintado-a-mão-a-pajarita

 

 

Quando existem mais peças para o mesmo projecto ou evento, o processo criativo continua, sendo feitas imagens que estão alinhadas com a estética já iniciada. Retomamos o rumo, passo a passo, partindo do que foi definido no processo de aprovação, mas sem nos fecharmos num motivo ou desenho inicial. Deixamos que tudo flua e adaptamos o desenho gráfico às diferentes peças, com diferentes funções, dimensões e conteúdos. Não precisa de ser tudo igual, mas sim tudo da mesma família.

 

Para finalizar, deixo-vos um conselho fundamental: nunca tenham medo de conversar sobre o orçamento que têm disponível. Não faço juízos de valor sobre as vossas escolhas e bolso, e quero, acima de tudo, proporcionar-vos o melhor serviço e produto, estou do vosso lado! Muitas vezes este tema é evitado ou tratado como tabu, e isso só gera desconforto e soluções menos felizes.

Saber o vosso plafond não vos vai prejudicar, muito pelo contrário, vai facilitar a apresentação de propostas ou soluções mais concretas e tendo em conta os vossos objectivos, respeitando o meu trabalho e sem prejudicar a estética que escolheremos, juntos.

 

Texto escrito com a imprescindível ajuda de Susana Esteves Pinto e ilustrado com as bonitas fotografias do processo criativo realizadas pelo Hugo Esteves Photography.

Publicado no Simplesmente Branco.

Submeter comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.